101 Blockchains
101 Blockchains

35 Exemplos da Web 3.0 de Como a Blockchain Está Mudando a Internet

0

A web está aí há pelo menos duas décadas. Mas será que ela é a mesma plataforma usada por seus idealizadores, na década de 70 e 80? Ela, que foi a espinha dorsal de toda a nossa existência e crescimento, neste momento, possui milhões de usuários que a usam diariamente, criando valor para a nossa economia e levando a sociedade humana para novos horizontes.
A Web, por mais imperceptível que pareça, está chegando a um estágio voltado para as novas tecnologias de rede descentralizada conhecida como Web 3.0.

 

Explicaç¦o Simples da Web 3

Mas, antes de entrarmos de cabeça nas questões da Web 3.0 e seu ecossistema, vamos aprender mais sobre Web 1.0 e Web 2.0.

O que é a web?

Para entender o que é Web 3.0, primeiro precisamos entender o que é “web”.

A web é uma interconexão de sistemas, hosts e usuários em uma rede que foi idealizada por Tim Berners-Lee que a inventou em 1989. Ele teve a gentileza de permitir que outros o usassem livremente e não o patenteou. A Web 1.0 nasce a partir dos trabalhos deste homem.

Naquela época, era uma maravilha tecnológica (ainda é) mas, com o tempo a tecnologia evolui.

História da Web

Web 1.0

A web 1.0 é recheada de sites estáticos que foram criados com HTML, CSS e JavaScript. Não haviam muitos aplicativos da web na internet. Era sem nenhuma interação.

Naquele momento, tínhamos salas de bate-papo do MSN messenger AOL. No geral, não foi uma experiência tão boa quando comparamos com a web de hoje. Além disso, não havia como transmitir músicas e vídeos. Dê uma olhada na aparência em um dos primeiros layout do google, lançado em 1999 e note a diferença: Layout google 1999. By: Archive.org

Web 2.0

A Web 2.0 sofreu uma mudança significativa em relação à Web 1.0. Tudo começou com interfaces interativas e conteúdo que todos amavam.

A web 2.0 também viu o surgimento de várias plataformas populares de consumo de mídia, como Wikipedia, YouTube, Flickr, Orkut e Facebook. Criou uma comunidade de pessoas com ideias afins, onde era fácil para qualquer um compartilhar informações.

A Web 2.0 também iniciou a sobrecarga de informações. Segundo a ONU, o número de usuários de internet aumentou de 738 milhões para 3,2 bilhões em pouco tempo.

Já Estamos na Web 3.0

Quando pensamos que vimos tudo, chega para nós a Web 3.0 que leva a experiência na Web um passo à frente, concentrando-se em aspectos humanos ela estará mais inclinada para a privacidade e contra o controle de grandes organizações.

Definição da Web 3.0: O que é web 3.0?

 

O que é a Web 3

A Web 3.0 tem tudo a ver com uma rede mais transparente e justa, na qual todos podem participar sem temer uma perda de privacidade e segurança. A mudança da Web 2.0 para a 3.0 é evidente com a evolução da tecnologia ao nosso redor. Tecnologias como inteligência artificial, big data e outros facilitarão o fornecimento de mais experiência pessoal na web do que nunca. Além disso, os aplicativos da web serão mais intuitivos e tornarão mais acessíveis para as pessoas usá-lo em suas vidas diárias. Agora temos muitos exemplos da Web 3.0 que discutiremos neste artigo.

A introdução do blockchain também mudou como a Web 3.0 funcionará. Como já mencionamos, o foco será direcionado aos usuários, e não à corporação.

Corporações como Facebook ou Amazon estão comprando organizações e também executando campanhas que visam inversamente controlar as pessoas de acessar serviços limitados. Facebook como executando sua campanha para fornecer acesso gratuito aos países em desenvolvimento, enquanto a Amazon comprou diretamente o Washington Post. Mesmo que isso não pareça algo ameaçador, ter um controle considerável sobre o mercado pode, mais cedo ou mais tarde, permitir que as corporações controlem seu comportamento e resultado.

Web 3.0: O começo de uma nova era

Agora que entendemos o que é Web 3.0, vamos nos aprofundar no que a Web 3.0 tem a oferecer.

A Web 3.0 é uma era completamente nova. A era da descentralização em que as aplicações que usam a rede descentralizada reinarão supremos. Além disso, nenhum modelo de negócio tradicional não será afetado por essa mudança. Quase tudo pode ser melhorado e imaginado com novas tecnologias, especialmente com blockchain. No momento da escrita, o Web descentralizado 3.0 tem mais de 3000 moedas criptografadas. Dos quais 1600+ estão listados no CoinMarketCap.

Plataformas blockchain descentralizadas, como Ethereum, EOS e NEO, também tornarão a Web 3.0 mais útil e dinâmica do que a Web 2.0. Você pode descobrir facilmente 100 dApps que atualmente estão interrompendo o setor. Já cobrimos alguns dos principais dApps em 101blockchains.com. Confira abaixo.

Além disso, confira o caso de uso do blockchain no mundo real.

Benefícios da Web 3.0

Estamos nos movendo através de uma revolução que pode mudar nossas vidas completamente. Web 1.0 foi tudo sobre a construção das tecnologias básicas e capacidade de se conectar através da internet. A Web 2.0 levou adiante o que a Web 1.0 tinha a oferecer. No entanto, foi principalmente controlado por organizações e corporações para seu benefício próprio.

 

Benefícios da Web 3

A Web 3.0 traz de volta o aspecto humano ao fornecer privacidade e segurança aos usuários, em vez de tornar as corporações mais poderosas do que nunca. A visão da Web 3.0 mudou nos últimos 7-8 anos. Inicialmente, era simples, mas com a introdução de blockchain e bitcoin, a visão e a abordagem mudaram completamente. Agora, a Web 3 se concentra mais nos recursos descentralizados que o blockchain tem a oferecer.

Então, quais são os benefícios da Web 3.0?

  1. Anti monopólio e pró-privacidade

A Web 3.0 trará estrutura pró-privacidade e anti monopólio à rede. Não incentivará plataformas centralizadas. Por exemplo, plataformas como Facebook, Google+ e outras podem ver uma diminuição em sua popularidade devido às novas entidades no espaço que fornecem serviços semelhantes com a descentralização em mente.

Em suma, veremos uma reviravolta completa, em que o tema central será a privacidade e a descentralização. O intermediário não saberá negócios ou necessidade para esse tipo de plataforma. Esse movimento será facilitado com a ajuda de blockchains como Ethereum, EOS, NEO e outros. Grandes corporações, como a Apple e o Alphabet, perderão o controle sobre a rede e os dados do usuário. O governo, por outro lado, também verá a descentralização. Para o melhor interesse, é aconselhável que as corporações se adaptem aos novos padrões da Web 3.0, fornecendo serviços descentralizados que enfocam privacidade e segurança, em vez de controle.

  1. Rede Segura

A Web 3.0 será muito mais segura que seus predecessores e isso será possível por dois motivos, incluindo natureza distribuída e descentralização. Hackers ou exploradores terão dificuldade em penetrar na rede. Além disso, se eles puderem fazer isso, cada uma das suas operações poderá ser rastreada e recolhida dentro da rede.

Sem a centralização, também será difícil para os hackers assumirem o controle total de uma organização. No entanto, as plataformas blockchain sofrem de alguma forma de exploração, como 51% de ataques, mas a maioria dos aplicativos e plataformas blockchain podem ser rapidamente corrigidas para proteger esse tipo de ameaça.

  1. Propriedade de Dados

Os usuários vão confiar mais no mundo digital com a Web 3.0, e, até agora, os dados gerados pelos usuários eram armazenados e utilizados por grandes corporações. Com a Web 3.0, os usuários finais terão propriedade total dos dados. Os dados transferidos pela rede serão completamente criptografados. Além disso, os usuários poderão decidir quais informações desejam compartilhar com corporações ou plataformas de publicidade de terceiros. No entanto, a tendência atual é completamente diferente. Grandes organizações como Amazon, Facebook ou Google armazenam dados de usuários de várias maneiras, incluindo renda, interesses, hábitos alimentares e assim por diante.

Com a Web 3.0, os usuários agora podem vender seus dados para as corporações e ganhar com isso.

  1. Interoperabilidade

A interoperabilidade é um dos principais recursos da Web 3.0. Com uma rede descentralizada, será fácil para os aplicativos funcionarem em diferentes dispositivos e plataformas, como TVs, smartphones, estradas inteligentes e assim por diante.

Os desenvolvedores também acharão fácil desenvolver aplicativos da Web 3.0. Um desses exemplos inclui o EOS, que fornece interoperabilidade. Ao contrário da Ethereum, os desenvolvedores não precisam aprender um novo idioma e podem facilmente desenvolver dApps, mantendo diferentes dispositivos em mente.

  1. Nenhuma interrupção de serviço

Sistemas distribuídos são menos propensos a interrupção de serviço. Como não existe uma entidade central para o funcionamento, torna-se difícil que uma negação de serviço distribuída (DDoS) ou outras formas de tentativas de mau funcionamento de serviço tenham impacto. Isso torna o Web 3 um ótimo lugar para compartilhar dados e serviços críticos sem se preocupar com a interrupção do serviço.

  1. Blockchain mais Livre

A ideia por trás da Web 3.0 é produzir blockchains que não precisem de uma autoridade central. Isso significa que qualquer um pode participar do blockchain e participar criando um endereço. Blockchains flexíveis irão abrir um novo leque de possibilidades, incluindo o acesso a pessoas que são precocemente discriminadas devido ao seu sexo, renda, país de origem e assim por diante.

Então, o que exatamente significa em termos leigos? Isso significa que não haverá restrições na Web 3.0.

  1. Web Semântica

A Web 3.0 também hospedará as propriedades de uma web semântica. A web semântica é uma melhoria em relação ao último conjunto de tecnologias que são usadas para a Web 2.0, e ela permite que os dados sejam compartilhados entre vários sistemas, plataformas e limites da comunidade atuando como uma ponte entre diferentes formatos de dados e plataforma.

Ao utilizar a web semântica, poderemos nos conectar melhor, compartilhar e aproveitar a internet como nunca antes.

  1. Ubiquity

A ubiquidty é o resultado da interoperabilidade. Com a Web 3.0, podemos acessar dados e informações em vários aplicativos sem a necessidade de um dispositivo específico. Isso significa que você não precisa se preocupar em obter um determinado dispositivo para obter acesso à Web 3.0. Se um dispositivo tiver funcionalidade básica de internet e conectividade, você poderá acessar a web.

Tudo somado, nossas vidas serão completamente mudadas, pois estaremos conectados por meio de um conjunto melhor de tecnologias, como inteligência artificial, blockchain e muito mais!

Espero que, até agora, você tenha uma ideia do que é a Web 3.0 e seus benefícios.

dApps – A porta de entrada para a Web 3.0

Agora que entendemos o que a Web 3.0 tem a oferecer, precisaremos aprender como isso funciona. Temos um novo navegador ou uma nova interface? Bem, na verdade não.

Nós ainda estaremos usando o mesmo navegador e a internet, no entanto, internamente, isso mudará drasticamente. As novas tecnológicas no trabalho levarão algum tempo para amadurecer, mas, quando isso acontecer, haverá muitas coisas novas para explorar (pelo menos tecnicamente). Para um usuário normal, haverá menos curva de aprendizado. As empresas, no entanto, precisam transformar sua pilha de tecnologia completamente e precisarão adotar blockchain e tecnologias relacionadas, como inteligência artificial, big data, etc., para estarem prontas para o futuro.

Cada transação na internet (Web 3) será assinada e verificada antes de ser confirmada. Isso fará com que a internet seja um lugar seguro. Nós estaremos usando muitos outros aplicativos que utilizarão novas tecnologias.

 

Web 3 Ferramentas

Web 3.0 dApps

A transição já começou com o Web 3.0 dApps. Para obter um melhor entendimento, estaremos dividindo em diferentes categorias e também discutiremos os dApps que substituirão os serviços e aplicativos tradicionais. A transição é inevitável e é apenas o momento em que a adoção em massa desses aplicativos ocorrerá. Para realmente ter uma visão clara do que é a Web 3.0, você precisa entender profundamente os dApps.

Web 3.0 – Descentralizando Tudo Infográfico

 

Web 3.0 - Descentralizando Tudo Infográfico

Para facilitar o seu acompanhamento, listaremos as diferentes categorias. Que são os seguintes:

  1. Redes sociais
  2. Serviços do Exchange
  3. Mensagens
  4. Armazenamento
  5. Seguros e Bancos
  6. Streaming (vídeo e música)
  7. Trabalho remoto
  8. Navegador

 

  1. Redes Sociais

As redes sociais desempenham um papel crucial em nossas vidas e transformam a forma como nos comunicamos, interagimos e formamos comunidades. No entanto, a atual geração de redes sociais não está livre de problemas e eles são limitadores, censurados e trabalham para uma agenda interna.
As Redes sociais também podem ser controladas por grandes corporações ou governos para controlar o ponto de vista do usuário e tentar moldá-los de acordo com suas vontades.

A China, um dos países mais controladores no mundo e tem sua própria versão das redes sociais. Para o Facebook, eles têm o WeChat, que é bem limitado e só pode ser acessado ​​pelo povo da China.

A Web 3.0 mudará completamente como a rede social funciona. Com o uso de blockchain, não será possível limitar as plataformas sociais de forma alguma, e qualquer um poderá participar, independentemente de suas limitações geográficas.

Sem mencionar que essas redes sociais têm autoridade total sobre os dados que são compartilhados e armazenados na plataforma. O Facebook, por exemplo, recentemente caiu em um escândalo na cidade de Cambridge. O Facebook vazou os dados de milhões de usuários, quebrando sua privacidade na grande medida. O Google, por outro lado, também não está livre do uso indevido de dados do usuário, no geral, se você usar qualquer uma das redes sociais atuais, basicamente você estará negociando seus dados com uma taxa de uso.

Com as redes sociais da Web 3.0, a perspectiva irá mudar completamente. Há plataformas como Sapien, Steemit, Sola, Indorse, onG.Social, props Project e Yours que parecem ser promissoras. Todas utilizam tecnologias da blockchain da próxima geração, como a inteligência artificial. Vamos listar alguns deles abaixo.

Exemplos de redes sociais na Web 3.0

Sapien: A Sapien é um dos exemplos da inovação da Web 3.0 que é uma plataforma de notícias sociais democratizada que aproveita o blockchain da Ethereum, e também é altamente personalizável, além de ser uma excelente alternativa para o Google ou o Facebook quando visto da perspectiva das notícias sociais.

Steemit: A Steemit é outro ótimo exemplo de sites da Web 3.0 que está embasado inteiramente na tecnologia da blockchain da Steem. Ela é a melhor descrição de como uma plataforma de recompensas descentralizada pode ajudar os contribuidores a gerar receita com seu conteúdo. É uma alternativa ao Reddit.

Sola: A Sola não usa apenas blockchain, mas também usa tecnologias avançadas, como a IA para criar uma rede social e mídia hibrida. Ele espalha informações úteis para os leitores de acordo com suas preferências, através de algoritmos que usam IA. Desta forma, os usuários obtêm o que desejam em conteúdo de alta qualidade.

Todos esses exemplos se encaixam nas definições da Web 3.0.

Benefícios das redes sociais descentralizadas

  1. Nenhuma autoridade central que capture dados e possa usa-los indevidamente.
  2. Capacita os usuários, recompensando-os com alguma forma de ativo.
  3. Melhora nas redes sociais da Web 2.0 em quase todos os aspectos.
  4. Protege a privacidade dos usuários. Os usuários decidem o que querem compartilhar e quando.
  5. Grandes corporações e organizações perdem poder de influência de grandes corporações.

As redes sociais descentralizadas são uma ótima ideia que podem mudar a forma como pensamos, compartilhamos e nos comunicamos, e muitos especialistas questionam sua implementação no mundo real e se perguntam se funcionarão bem ou não. Por enquanto, só podemos esperar e ver o que eles têm e oferecem no futuro próximo.

  1. Serviços de Troca

Quando se trata dos serviços de câmbio, a centralização começa a mostras seus defeitos. O maior fracasso que podemos citar é quando hackearam a Mt. Gox. A invasão custou a eles cerca 460 milhões dólares em bitcoin em 2014. Seu valor seria pelo menos mil vezes maior agora.

Outro exemplo que podemos citar é o caso da Bitfinex, onde 120.0000 BTC foram roubados em 2 de agosto de 2016.

Então, qual é a solução?

Corretoras digitais descentralizadas.

As bolsas descentralizadas estão crescendo lentamente em popularidade pois proporcionam uma experiência de troca sem se preocupar com invasões. Isso também significa que não há autoridade centralizada e, com isso, nenhum conflito de interesse do lado do proprietário. Já sabemos que a Web 3.0 depende da confiança pois trata-se de trocas descentralizadas que exigem isto.
Vamos listar alguns dos poucos serviços de câmbio descentralizados que estão por aí.

Trocas Descentralizadas Exemplos da Web 3.0

IDEX: A IDEX é uma casa de câmbio descentralizada popular. Nela você pode trocar tokens ERC-20 que fornecem uma boa interface para os usuários onde qualquer pessoa com uma carteira ethereum pode começar a negociar na plataforma. Para fazer o melhor uso do IDEX ou de qualquer troca baseada no ethereum descentralizado, você precisa usar o MetaMask.

EOSFinex: A EOSFinex é uma casa de câmbio descentralizada que é executada através da tecnologia de softwares criados em EOS.IO. Atualmente está em desenvolvimento pela Bitfinex, uma das maiores centrais centralizadas por aí.

Isso mostra sites que usam a Web 3.0 com criptomoedas descentralizadas.

Benefícios das Trocas de Criptomoedas Descentralizadas

  1. Transações mais baratas;
  2. Transações mais rápidas;
  3. Dificuldade para hackers devido sua natureza descentralizada;
  4. Funciona bem com carteiras financeiras em hardware;
  5. Usuários que controlam seus próprios fundos.

No entanto, as trocas descentralizadas não é um mar de rosas, eles são sempre difíceis de serem usados ​​e compreendidos pelos usuários. Isso significa que a troca descentralizada tem uma curva de aprendizado ligada a ela. A atual geração de câmbio descentralizado também sofre com a falta de recursos e funcionalidades, no entanto, com o tempo, veremos a rede descentralizada avançar até chegar a pé de igualdade com os sistemas centralistas.

  1. Mensagens

O envio de mensagens faz parte de nossas vidas desde o dia em que começamos a usar a Internet. Um bom exemplo que está no cotidiano da maioria de nós, é o WhatsApp e o Facebook messenger. Outros tipos de serviço de mensagem incluem o Telegram, que é usado principalmente por startups, empresas e outras formas de trabalho profissional. Mesmo assim, a atual geração de serviço de mensagem não tem muitos negativos anexados a ela, mas carrega os problemas das plataformas de mídia social que discutimos logo acima. O Telegram, no entanto, conhece o impacto do blockchain e está a caminho de desenvolver um aplicativo messenger descentralizado.

O WhatsApp, por exemplo, sofreu com a transmissão não segura de mensagens entre usuários. Mais tarde, eles corrigiram a implementação dos HTTPs. No entanto, muitos relatórios mostraram que o Facebook (que é dono do WhatsApp) acessa os dados do usuário e os utiliza para exibir anúncios contextuais para os usuários quando eles navegam na Internet. Isso significa que a privacidade do usuário é prejudicada e o Facebook usa os dados do messenger para alimentar seu sistema de publicidade.

O governo, por outro lado, também tende a administrar sua rede de inteligência para rastrear mensagens e isso só é possível por causa de soluções centralizadas.

A solução destes problemas está no uso de aplicativos da Web 3.0, como e-Chat, ySign, Obsidian, Riot e assim por diante. Todos eles aproveitam o blockchain e garantem que a privacidade dos usuários seja mantida.

Exemplos do Messenger Web 3.0

e-Chat: O e-Chat é um aplicativo Web 3.0 descentralizado que oferece um messenger seguro. É também uma das redes sociais que mais cresce. Ao usar este aplicativo, os usuários obtêm liberdade real e também podem enviar criptomoedas através dele. O aplicativo e-Chat já está disponível na App Store e no Play Market. É um ótimo exemplo de sites da Web 3.0.

Obsidian: A Obsidian é um promissor projeto Web 3.0 que está baseado no STRAT e é alimentado pela sua moeda Stratis. É um aplicativo da próxima geração de usuários. Ele fornece um ambiente seguro onde os usuários podem se comunicar ou até mesmo enviar fundos para o outro.

ySign: A ySign é mais uma empresa de comunicação que é um exemplo perfeito do exemplo da Web 3.0. Está definida para mudar o mundo dos aplicativos de mensagem com sua solução.

Isso nos leva ao fim da lista de sites do Messenger Web 3.0. Esses exemplos se encaixam bem nas definições da Web 3.0.

Benefícios do messenger descentralizado

  1. Privacidade
  2. Envie ativos rapidamente e de forma segura.
  3. Seus dados não podem ser usados ​​para publicidade
  4. Transações rápidas

Embora haja muitas vantagens para os mensageiros da Web 3.0, ainda tem desvantagens. Por exemplo, os criminosos podem usar plataformas descentralizadas para enviar dados e informações que não podem ser rastreados pelas autoridades. Também pode ser usado para transferência ilegal de ativos.

  1. Armazenamento

Há muita inovação no armazenamento de dados. No entanto, o estado atual do armazenamento de dados pode ser alterado com as tecnologias da Web 3.0, como blockchain e big data. Como usuário normal, armazenamos dados no Google Drive e em outras soluções de armazenamento em nuvem na Internet. Para as empresas, é uma história completamente diferente, pois preferem uma solução mais robusta e centralizada para armazenar seus dados valiosos.

Houve muitos problemas de armazenamento de dados e segurança no passado. Alguns dos mais comuns incluem Linkedin, Uber e T-Mobile.

A violação de dados no Linkedin foi a pior, pois expôs o nome de usuário e senha para 117 milhões de usuários do Linkedin. A Uber também encontra um destino semelhante quando dados de 57 milhões de clientes Uber foram roubados. As violações foram em parte por causa do armazenamento de dados que eles estavam usando.

Os sistemas de armazenamento atuais também são centralizados, o que significa que os dados podem ser manipulados ou usados ​​para outras formas de atividades, como vender os dados a terceiros para fins publicitários.

A solução é, obviamente, o armazenamento de dados descentralizado. As soluções de armazenamento atuais, como o Google Drive, o Dropbox, etc., para armazenar seus dados, mas também têm acesso a elas. Houve relatos de que o Google leu os arquivos do Google Drive. No entanto, esses relatórios não foram provados com qualquer evidência conclusiva.

A solução para todos os problemas acima é o armazenamento de dados descentralizado. As soluções de armazenamento são os melhores exemplos da Web 3.0 por aí. Muitos casos de uso da Web 3.0 podem ser utilizados no espaço de armazenamento. Alguns dos exemplos incluem Filecoin, Storj, MaidSAFE e assim por diante.

Noções Básicas de Armazenamento Descentralizado

A ideia básica por trás do armazenamento descentralizado é toda sobre o compartilhamento de arquivos e dados através de uma conexão peer-to-peer. A segurança no armazenamento descentralizado também é de primeira linha, pois o remetente pode simplesmente criptografar os arquivos e depois enviá-los ao receptor. Ele também pode dividir os arquivos em partes e depois enviá-lo.

A hospedagem também será totalmente possível com uma solução descentralizada. A hospedagem simplesmente manterá um arquivo que contém o conteúdo do arquivo em um formato criptografado. Um arquivo hospedado também pode ser recuperado usando a chave privada.

Exemplos da Web 3.0 de Armazenamento Descentralizado

Storj: A Storj é uma das principais soluções de armazenamento descentralizado. É também um dos mais antigos. Com a Storj, qualquer um pode armazenar dados, pois é um desenvolvimento em open source muito fácil de usar. Qualquer um pode começar com apenas 1-Click. O modelo de pagamento é criado em torno dos usuários, pois eles podem pagar conforme usam. O token Storj é usado para abastecer a plataforma Storj.

Sia: A Sia é também uma solução de armazenamento descentralizada promissora e também é considerada a maior concorrente da Storj. A Sia divide o arquivo em trinta segmentos e depois faz sua distribuição. Ela também criptografa o arquivo durante a transferência.

Filecoin: O último projeto que me chamou a atenção é o Filecoin que é um projeto do Protocol Labs, e trabalha em uma abordagem dupla e usa dois tipos de nós de rede.

Isso encerra a listagem dos sites do Armazenamento via Web 3.0.

Benefícios das Soluções de Armazenamento Descentralizado

  1. Funciona bem em diferentes plataformas ou até em soluções blockchain;
  2. Protege os dados que estão sendo transferidos com criptografia forte;
  3. Não possui uma entidade centralizada, permitindo que ninguém possa acessar os dados;
  4. É barato e funciona bem com tecnologias de próxima geração, como IoT.
  1. Seguros e Bancos

Os Seguros e Bancos são um dos setores mais corruptos da nossa sociedade. O seguro, por exemplo, é executado com uma filosofia de lucros. Os Bancos, por outro lado, também não está livre de todos os esquemas de corrupção. No geral, podemos afirmar com segurança que o sistema atual está quebrado e precisa ser mais transparente e seguro para os usuários prosperarem nele.

Alguns dos famosos socorros corporativos relacionados à panificação e ao seguro começam a partir do ano 1494. Está relacionado à atividade bancária em que a família Medici assumiu grandes dívidas apenas para utilizá-la em seu próprio estilo de vida. As fraudes recentes incluem a fraude bancária do Banco Espírito Santo (BES) quando as autoridades detectaram irregularidades quando a auditoria ocorreu em 2014.

Tanto o setor bancário e de seguros podem ver uma revolução com a tecnologia blockchain. Há muitos casos de uso dessa tecnologia, e o impacto pode ser visto mais cedo do que se pensava. A transformação ocorrerá através do uso de recursos de blockchain, incluindo transparência e segurança. Isso significa que as fraudes não serão possíveis em bancos ou seguros.

Os registros podem agora ser mantidos no blockchain. Além disso, os contratos inteligentes podem ser usados ​​para automatizar a maioria das tarefas que não exigem nenhum toque humano. A implementação do blockchain significa que os usuários serão mais beneficiados. Reivindicações de seguros serão fáceis e todo o processo pode ser realizado com o mínimo ou nenhum papel. As falsas afirmações também sofrerão uma dissuasão. Os Usuários com experiência digital também acharão a mudança útil.

Exemplos de Seguros e Bancos na Web 3.0

AiGang: A Aigang é um protocolo de seguro DAO que oferece descoberta de pools de seguros de crowdsourcing. Pode ser usado por usuários que podem ganhar recompensas por previsão com contratos inteligentes DAO.

Hyperledger Fabric da IBM: O projeto visa criar uma plataforma de trade finance com o uso de blockchain. Isso facilitará os pagamentos internacionais e atualmente é apoiado por muitos bancos, como HSBC, Natixis, Unicredit e outros. Ele será executado no IBM Cloud.

Everledger: É um registro global digital distribuído que visa fornecer registros exclusivos para cada usuário. Os usuários podem armazenar dados digitalmente e ter acesso a eles sempre que desejarem. Protege os usuários e bancos, o mercado aberto e as seguradoras de fraudes.

Cashaa: A Cashaa é uma plataforma bancária de última geração que fornece regulamentação, conformidade e segurança. Ela fornece empréstimos bancários criptográficos instantâneos e também oferece negociação com criptomoeda.

Compartilhar seguro: A empresa está desenvolvendo atualmente produtos de seguros que aproveitam a rede compartilhada, como blockchain. Traz confiança nos negócios e ajuda a crescer para novas alturas.

Estes concluem a listagem dos sites seguros e bancários da Web 3.0. Todos esses exemplos se encaixam nas definições da Web 3.0.

Benefícios da blockchain em Seguros e Bancos

  1. Menor probabilidade de fraudes;
  2. Reivindicações falsas podem ser bloqueadas e removidas;
  3. Melhor experiência do cliente;
  4. Capacitação do conhecimento digital;
  5. Auditorias internas para bancos podem ser feitas facilmente;
  6. O pagamento internacional e o pagamento cruzado são agora uma possibilidade com blockchain;
  1. Streaming (vídeo e música)

A Streaming é uma grande indústria onde pode se afirmar se que cresce mais prontamente no próximo período. Como usuário, você já conhece os grandes manda chuva que nos cercam: YouTube, Twitch e Netflix rapidamente vem a nossa mente quando pensamos em streaming para vídeo. No ramo da música, é o famoso Spotify que quase reina sob a indústria de streaming de música.

Mesmo que proporcionem uma ótima experiência ao usuário, todo o conceito de monopólio não é bom para a indústria no longo prazo. Muitas questões, incluindo políticas pouco claras, também afetam as atuais plataformas de streaming. Eles também utilizam os dados do usuário para fins publicitários, o que quebra a privacidade dos usuários que possa assim desejar, quando estão online. Todas as plataformas de streaming são quase gratuitas em relação ao custo. Nesse caso, você se torna o produto para eles.

Além disso, quando se trata de criadores de conteúdo, o Twitch e o YouTube não justificam pagamentos baixos. Os novos streamers acham difícil começar em qualquer uma das plataformas e nenhuma das plataformas tem uma solução para esse problema. Em suma, o controle centralizado da plataforma de streaming não oferece oportunidades iguais para todos ao nosso redor.

Conheça aplicativos da Web 3.0 para vídeo e música. Nos exemplos de vídeo da Web 3.0, temos os gostos de Livepeer, Viuly, Flixxo, Videocoin, LBRY e assim por diante.

Quando se trata de exemplos de música da Web 3.0, temos o Voise, Moosecoin, Maestro, UjoMusic e assim por diante.

Todas as plataformas acima são promissoras e resolvem o problema de streaming de vídeo e música à sua maneira.

Exemplos de Streaming (Vídeo e Música) da Web 3.0

Para entender melhor, vamos listar sites de vídeo e música da Web 3.0.

LivePeer: A Livepeer é uma plataforma descentralizada que é executada no blockchain. Ela fornece um serviço de streaming de código aberto que visa criar uma pilha de streaming para a Web 3.0.

LBRY: A LBRY é uma biblioteca digital descentralizada que abriga uma forma diferente de conteúdo. Como usuário, você pode ler, assistir e ouvir músicas na plataforma. Isso significa que ele suporta livros, músicas e vídeos e parece ser um dos mais antigos projetos da Web 3.0.

UjoMusic: O UjoMusic é uma plataforma de música onde os criadores de música podem fazer upload de suas músicas e distribuí-las sem qualquer problema de direitos autorais, royalties. A criptomoeda e os contratos inteligentes permitem isso.

Maestro: O Maestro é uma plataforma de streaming de música para ouvintes e artistas que utilizam blockchain.

Benefícios da blockchain no streaming

  1. Criadores de conteúdo podem trabalhar em um ambiente transparente;
  2. Todos têm chances iguais de promover seu trabalho;
  3. As questões de direitos autorais serão insignificantes graças aos contratos inteligentes;
  4. Nenhuma autoridade central significa que não haverá política absurda para streamers e criadores de conteúdo.
  1. Trabalho Remoto

O mundo está se movendo em direção a empregos remotos. Somente nos EUA, trabalhos do tipo freelancers e remotos já compõe uma parcela do PIB americano. É fascinante ver para onde estamos indo, pois preferimos trabalhar em casa do que no escritório. Quaisquer que sejam as razões, as plataformas de trabalho remotas centralizadas não estão à altura da marca. Há um número considerável de problemas e isso reflete até mesmo em problemas que enfrentei com as plataformas de trabalho centralizadas.

A Upwork, por exemplo, é um excelente trabalho remoto e uma plataforma de freelancers. Ela permite que os indivíduos trabalhem em casa e também em excelentes projetos que correspondam às habilidades do freelancer. Do ponto de vista de um freelancer, a primeira dificuldade é entrar na própria plataforma. Sim, você leu certo. Novos freelancers dificilmente são aprovados no Upwork devido a vários motivos. Mesmo depois de ser aceito, os iniciantes têm que lutar para conseguir seu lugar. Além disso, as oportunidades iniciais são mal pagas e, em grande parte, a Upwork não faz nada para resolver esses problemas.

Mais uma coisa comum com plataformas de trabalho remotas são as taxas associadas a ele. Para Upwork, atualmente é definido em 20% para projetos inferiores a 500 dólares, e 10% para valores acima de 500 dólares. É uma quantia enorme de honorários dos freelancers. Do lado do empregador, as coisas também não parecem tão brilhantes pois eles têm de lidar com a falta de disponibilidade de bons talentos e muito mais.

Plataformas descentralizadas de trabalho remoto / freelance podem resolver prontamente esses problemas. Alguns dos exemplos incluem EthLance, Atlas.Work, CryptoTask, Blocklancer e assim por diante.

Exemplos de Trabalhos Remotos da Web 3.0

Para entender melhor, vamos listar os sites da Jobs Web 3.0.

Ethlance: A Ethlance é uma plataforma de trabalho remota descentralizada que funciona no topo da blockchain da Ethereum. Qualquer um pode contratar e trabalhar em troca da criptomoeda Éter. A vantagem mais significativa de usar essa plataforma é de 0% de taxas de serviço, sem restrições de associação e assim por diante.

Atlas.Work: A Atlast.Work é uma plataforma freelancer de blockchain que é escalável e usa contratos inteligentes e aprendizado de máquina para capacitar um ecossistema de freelancers, onde tanto os freelancers quanto os empregadores podem aproveitar o máximo de benefícios. Tem uma taxa de cobrança fixa de 2 dólares por tarefa.

CryptoTask : CryptoTask é outro projeto da Web 3.0 que não tem taxas e censura para os usuários. Ele também usa um algoritmo avançado para combinar freelancers com ofertas de trabalho.

Benefícios da plataforma de empregos remotos descentralizados

  1. Nenhuma ou mínimas taxas;
  2. Nenhuma autoridade centralizada significa que qualquer um pode participar;
  3. Nenhuma restrição para ingressar na plataforma;
  4. Seja pago em criptomoeda.
  1. Navegador

Os navegadores são a porta de entrada para a internet. Os dois principais navegadores são o Google Chrome e o Firefox. Eles capturam a maior parte do mercado. O domínio do Google não é de forma alguma ignorado.

Nós exploramos a web através do navegador da web e, para navegar na web 3.0, precisamos de um navegador que se encaixe no aspecto filosófico da web descentralizada. Além disso, os atuais navegadores não são completamente seguros quando se trata de proteção de dados e hackeamento. Quando os usuários entram em sites infectados, seus computadores podem ser infectados. Os navegadores também vazam informações se não estiverem bem desenvolvidos de acordo com os padrões de segurança atuais. Seu navegador, por exemplo, armazena sua localização, informações de hardware e software, informações de conexão, informações de mídia social e assim por diante. Você pode ler um relatório mais detalhado aqui.

Os usuários também são vulneráveis ​​por meio de complementos que esses navegadores modernos têm a oferecer. A solução é usar um navegador descentralizado que ofereça melhor ecossistema usando a tecnologia blockchain.

Poucos exemplos de navegadores da Web 3.0 incluem o navegador Brave and Breaker. Todos esses exemplos se encaixam nas definições da Web 3.0.

Exemplos da Web 3.0 do navegador

Brave: O Brave é completamente privado, onde os usuários não são o produto. O navegador vem pré-instalado com o Ad-blocker. Ele também permitirá que os usuários vendam seus dados em troca da criptomoeda.

Breaker Browser: Os próximos navegadores da web deverão ser desenvolvidos através do modelo “peer-to-peer” e deverão ser um lugar onde qualquer um possa participar, compartilhar e desenvolver seus aplicativos. É uma ferramenta criativa que pode ser explorada por qualquer pessoa. É um navegador da Web 3.0.

Benefícios do Navegador Descentralizado

  1. Os usuários podem navegar em particular na internet;
  2. Não há menos brechas de segurança;
  3. Os usuários podem vender seus dados para uma organização e receber o pagamento;
  4. Rápido e seguro.

Conclusão

A Web 3.0 está aqui para ficar. Estamos nos estágios iniciais em que os aplicativos ainda estão em desenvolvimento. Além disso, há necessidade da adoção em massa da Web 3.0. Pode levar dez anos para mudar completamente o cenário da web. No entanto, alguns especialistas, como Mike Novogratz, pensam que só pode levar de 5 a 6 anos para isso. Segundo ele, o mundo já tem o conhecimento básico do que é Bitcoin ou criptomoedas. Agora, cabe às organizações ensinar seu uso ao público geral.

Então, o que você acha do ecossistema da Web 3.0? Você acha que vai se tornar popular em breve? Comente abaixo e deixe-nos saber.


About Author

Olá, sou o Lucas! Graduando em Engenharia de Computação pela UNIFEI - Universidade Federal de Itajubá. Apaixonado por tecnologia e desenvolvedor mobile com foco em Android nativo. Trabalho como freelancer nas horas vagas e sempre em busca de novos desafios.

Leave A Reply